segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Calculadoras na Playboy......!


Calculadoras na Playboy......!


É difícil de imaginar, nos dias de hoje, que se possa encontrar um artigo sobre calculadoras na revista "PLAYBOY". No entanto em 1973 a calculadora era  um gadget equivalente a um actual "IPHONE".
Portanto aqui apresento 2 páginas do número de Setembro de 1973 da referida revista:

MATH GOES MINI



Os modelos referidos são:  RAPIDMAN 800 ($59.95); GARRET 2020 ($69.95) - de forma esférica estilo capacete de astronauta;
BERKEY 350 ($119.95); BOWMAR MX50 ($99.95) e HP 35 ($295).


Número de junho de 1975:



sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Electronic Calculator Users Handbook

Livro "Electronic Calculator Users Handbook, M.H. BABANI B.Sc.(Eng.)" - BABANI PRESS - 1976




 


 
Este livro Electronic Calculator Users Handbook, ou seja Manual dos Utilizadores de Máquinas de Calcular Electrónicas, podia chamar-se livro de fórmulas e tabelas de cálculo. Pois trata-se de um precioso auxilar principalmente para quem possuia uma máquina de calcular básica de 4 funções, as mais vulgares em 1976. É pena não abordar mais  a fundo os diferentes tipos de máquinas e os seus métodos de cálculo.
 

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

CANON Palmtronic LE-84






CANON Palmtronic LE-84

Funções: Básica: 4 operações, C, CI
Alimentação: 6V - 4 pilha tipo "AA" ou adaptador AC/DC 6V
Consumo: 0,4 W
Visor: LED vermelhode 8 dígitos
MADE IN JAPAN

Data de fabrico: 1974
Nº série: 692340
Circuito integrado:  Texas TMS0801NC 7413 (semana 13 de 1974)  
Dimensões: 153mm x 73mm x 24mm
Peso: 140g (sem pilha)
Estado: OK

Mais informações sobre esta (mesmo esta) máquina em:

http://www.vintage-technology.info/pages/calculators/canon/canonle84.htm

Manual:




 Publicidade:



Fabricante:

CANON INC.


A CANON foi fundada em 1947 com o nome Canon Camera Company e deriva da anterior Precision Optical Instruments Laboratory, criado em 1933 em Tóquio. Durante as décadas 1960 e 1970 diversificou a sua linha de produtos e passou a produzir, para além de câmaras fotográficas, microfilmes e calculadoras. Em 1964 apresentou a sua primeira máquina de calcular electrónica a Canola 130.


Em 1971 lançou a Pocketronic, baseada no protótipo da Texas Instruments “Caltech”.


Em 1972 apresenta novos modelos designados Palmtronic, entre os quais a LE10.


A Canon tem a sua sede em Ohta-Ku em Tóquio no Japão e continua no negócio das calculadoras.



sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Olivetti EU C10





Olivetti EU C10

ELECTRONIC CALCULATOR
Calculadora: Básica 4 operações ( + - x : )
Funções: Local; €; option, MRC, M+, M-, %
Visor: LCD de 10 dígitos
Alimentação: Solar e 1 pilha botão tipo "AG10"
Dimensões:  115mm x 69 mm x 10mm
Fabricada na Malásia
Data de fabrico: 12-05-2001
Preço em 2015 no Japão 1890 Ienes (+-15€) (http://www.noax.co.jp/calc/euc10.html)

Cores:







terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Calculadoras HP na exploração do espaço


Calculadoras HP na exploração do espaço

Na minha pesquisa pela Internet encontrei este site dedicado às calculadoras e a exploração espacial, identificando os modelos que viajaram no espaço nas diversas missões da NASA e também algumas Soviéticas. O link abaixo permite o acesso directo a este interessante site:

HP calculators and space exploration


























quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Adeus, calculadora de bolso?


Tradução do Artigo do  The NewYorkTimes

Farewell, Pocket Calculator?
By ALICE RAWSTHORN

Published: March 4, 2012

A version of this article appeared in print on March 5, 2012, in The International Herald Tribune.

Adeus, calculadora de bolso?

Por ALICE RAWSTHORN

LONDRES - incidente diplomático? Ou crise diplomática? Se algo de repente explodiu dentro do bolso da camisa de um diplomata soviético durante os anos 1970, o que era suscetível de ter causado isso? Este diplomata especial pensou que teve um ataque cardíaco, mas sua comitiva suspeita de jogo sujo por agentes ocidentais no meio da Guerra Fria.

O culpado, de fato, vindo do Ocidente, mas acabou por ser um produto defeituoso do capitalismo ocidental, nem a CIA ou MI5. O diplomata infeliz havia sucumbido à tentação capitalista, tratando-se de um gadget ultramoderno Ocidental, uma das calculadoras Sinclair Executive introduzidas em 1972 pelo inventor e empresário britânico Clive Sinclair, que a classificou como a primeira calculadora "slimline"do mundo, que era pequena o suficiente para aparecer discretamente no bolso da camisa.

  

  

O problema é que as baterias duravam apenas algumas horas. Se elas fossem deixadas por mais tempo elas sobreaqueciam, podendo, eventualmente, explodir, que é declaradamente o que aconteceu quando o diplomata se esqueceu de desligar a sua calculadora. Dado o clima político tenso, as autoridades soviéticas dizem ter conduzido uma investigação oficial para apurar os factos. Este ano (2012) marca o 40 º aniversário da estreia do da Sinclair Executive, mas o que foi, anteriormente, um deslumbrante dispositivo eletrónico, agora parece tão antiquada que, como as gafes diplomáticas da Guerra Fria, parece estar enraizada firmemente no passado.

Hoje, a calculadora de bolso é um produto moribundo, vítima da digitalização, que tem sido relegado para o papel de um ícone gráfico no telefone e telas de computador, em vez de um objeto em si, mas de volta no início de 1970, estava na vanguarda da tecnologia de consumo.

Os computadores ainda eram enormes, tão caros e complicados que apenas foram autorizados a operá-los os técnicos especialmente treinados, e tão barulhento e propenso a sobreaquecimento que eles tiveram que ser selados dentro de câmaras com ar condicionado. Uma calculadora de bolso era o mais próximo de qualquer coisa com poder computacional que a maioria dos consumidores em 1970 veio a possuir, mesmo se tudo o que podia fazer era matemática básica. Esses aparelhos minúsculos pareciam atraentes porque ofereciam vislumbres raros no enigmático mundo da tecnologia, e a Sinclair Executive também teve o élan de ser a primeira.

Bem, até certo ponto, a Executive foi uma de um conjunto de calculadoras de bolso eletrónicas a serem desenvolvidas aproximadamente ao mesmo tempo. A calculadora diminuiu de tamanho ao longo dos anos 1960. A primeira suficientemente pequena para caber dentro de um bolso de camisa foi a Busicom LE-120A Handy, que foi introduzida no Japão no início de 1971, seguido meses depois pela Bowmar  901B, ou "Bowmar Brain", nos Estados Unidos. Quando a Sinclair Executive surgiu em 1972, era consideravelmente mais barata, um pouco mais magra e, criticamente, parecia muito mais lisa do que as outras graças a uma brilhante caixa de plástico ABS preto desenhada pelo irmão do Sr. Sinclair, Iain. O toque final foi o seu nome "Sinclair Executive" escrito em branco num tipo de fonte alongado da década de 1970.

As revistas de design resumiram o apelo da "Sinclair Executive" saudando-a como "uma vez uma peça de conversa, brinquedo de um homem rico e uma máquina de negócios funcional”. Pitoresca, considerada algo como "brinquedo de um homem rico "ou com a marca" Executive " para ser fonte de ascensão social. A "Sinclair Executive" vendeu tão bem que uma sucessora foi introduzida no ano seguinte, a “Executive Memory”, que custava um terço do preço da original.

Dezenas de outros fabricantes de produtos eletrónicos desenvolveram suas próprias versões da calculadora de bolso, que se tornou um símbolo de status corporativo. O auge do seu projeto era a calculadora  ET44 de 1977, requintada, concebida para a Braun na Alemanha por Dieter Rams e Dietrich Lubs. Culturalmente, o produto atingiu o seu pico em 1981, quando a pioneira electro banda alemã “Kraftwerk” lançou um single intitulado "Pocket Calculator" do seu álbum "Computer World". "Estou somando e subtraindo," diziam as letras. "Eu estou controlando e compondo. Ao pressionar uma tecla especial, ela toca uma pequena melodia."

Nessa altura, os computadores tornaram-se muito menores, mais silenciosos e menos complicados. Como os computadores pessoais inundaram o mercado na década de 1980, as calculadoras de bolso,  pareciam cada vez menos atraentes. O incansável Clive Sinclair voltou sua atenção para outras invenções, começando com a computação. Em 1978, ele apresentou o kit de microcomputador MK14 e em 1981 o computador Sinclair ZX81. Em meados da década, ele havia vendido as empresas de computadores  e mudou-se para a área dos transportes com o veículo elétrico Sinclair C5, que foi projetado com um único assento, mas, desconcertante sem tejadilho, pouco adequado para a Grã-Bretanha, um país tão frio e húmido.

As fortunas devidas à calculadora de bolso caíram desde então. É uma vítima da "Lei de Moore", a teoria de que o número de transístores que podem ser espremidos num microchip vai praticamente dobrar a cada dois anos, aumentando assim o poder de computação com a mesma taxa. Em termos práticos, isto significa que mesmo pequenos dispositivos digitais se tornaram tão poderosos que podem desempenhar as funções de vários produtos. Como livros impressos, revistas, jornais, CDs, DVDs, agendas, relógios, barómetros e qualquer outro produto cuja função pode ser replicado por um app, a calculadora de bolso está ameaçada de extinção.

Alguns desses objetos ameaçados podem sobreviver, porque, geralmente, são considerados como possuindo qualidades especiais sensuais ou estéticos que permitem formar vínculos sentimentais com eles. Livros lindamente encadernados enquadram-se nessa categoria, como os relógios engenhosamente concebidos. Mas e a calculadora de bolso?

A ET44 vai viver na sua réplica digital, a calculadora do iPhone, que a equipe de design da Apple desenvolveu em parte como uma piada interna, mas principalmente como uma homenagem carinhosa ao património de design da Braun. Mas é uma exceção. O caso é mais difícil para outras calculadoras de bolso, cujo recurso foi enraizado na eficiência e conveniência. Dispositivos digitais cumprem sua função com a mesma eficácia, e são consideravelmente mais convenientes, porque eles fazem muitas outras coisas também. Além disso, eles parecem menos inclinados a ser tão ruidosos e confusos como a Sinclair Executive.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

OLIVETTI DIVISUMMA 28











Revista DOMUS n.º 578 - Julho de 1975

Revista DOMUS n.º 529 - Dezembro de 1973



Divisumma 18 e 28








Catálogo manufrance 1973
 


Jornal ABC - Espanha -9-11-1974



OLIVETTI DIVISUMMA 28

Funções: Básica: 4 operações, C, S, T
Alimentação: ~ 220V
Consumo: 10W
Visor: Sem visor com impressora em papel de alumínio - 12 digitos
MADE IN ITALY
Data de fabrico: 1973
Nº série:
Circuito integrado: 2 x SGS
Memória: sem
Dimensões: 230mm x 210mm x 82mm
Peso: 1690g
Estado: OK (liga e imprime)

A calculadora tem corpo com a forma de "apito" em plástico cinzento escuro e de construção robusta. As teclas estão cobertas por uma membrana em borracha tem um bom toque e bom amortecimento. A calculadora foi desenhada por Mario Bellini e está exposta no MOMA em Nova Iorque.


Utilização:





As calculadoras Divisumma 18 e 28 usam uma espécie de lógica "máquina de somar", como às vezes é chamada. Comece com a tecla T, ela irá imprimir e limpar o total. Carregar no número para adicionar ou subtrair e carregar na tecla + ou-. Pressione a tecla S para imprimir o total sem limpá-lo. Para multiplicar ou dividir: Teclar no primeiro número, carregar na divisão /, teclar no segundo número e pressione a tecla correspondente = (aquele com a cor correspondente). Isto irá imprimir a resposta e apagar o total. Se você cometer um erro ao digitar um número apertar a tecla C e fazê-lo novamente. O botão com os números 0,2,3,4 define o número de casas decimais impressas.

FABRICANTE:




OLIVETTI

A OLIVETTI foi fundada em 1908 em Ivrea, perto de Turim, Itália, por Samuel Camillo Olivetti (1868-1943). Em 1909 lançou a sua primeira máquina de escrever a M1.


Em 1931 apresentou a M40 e em 1932 fabricou o modelo portátil MP1. A primeira máquina de calcular (mecânica) foi lançada em 1941. A Olivetti é famosa pelo seu design industrial, ou seja, por contratar designers para os seus produtos, Em 1948 lança a calculadora eléctrica Divisumma 14.



Em 1959 apresenta o primeiro computador electrónico em Itália o Elea 9003.

Em 1964 lança o primeiro computador de mesa programável, P101.

As calculadoras Divisumma 18 (portátil) e Divisumma 28 (secretária) foram desenhadas por Mario Bellini e apresentadas em 1973.

No ano seguinte foi lançada a Logos 68.

Actualmente o Grupo Olivetti é constituído por várias empresas que trabalham na tecnologia de informação e comunicações.
Página do grupo Olivetti:

www.olivetti.com/

Linha de calculadoras de escritório:

http://www.olivetti.com/EN/Page/t02/view_html?idp=337